Fotografia de mulher deitada com cabeça sobre cão e com gato nas mãos

Parasitas e Pessoas

Na Europa todos os anos são reportados muitos casos de pessoas infectadas por parasitas internos e parasitas externos.

Na maioria dos casos, a transmissão ocorre:

  • Através da Ingestão acidental de ovos de parasita de um ambiente contaminado
  • Através da penetração de larvas de parasita na pele
  • Através da ingestão acidental de uma pulga infectada
  • Enquanto se brinca com os animais ou com terra de locais frequentados por animais
  • Com a ingestão de frutas e legumes não lavados convenientemente.

As lesões provocadas no Homem são variadas, podem apresentar-se na forma de diarreia com sangue, nestes casos as lesões oculares e mesmo morte (casos extremos).

 

Fotografia de olho humano contaminado com larvas de Toxocara

Em ocasiões raras, as larvas de Toxocara alcançam os olhos, podendo provocar cegueira.

 

O parasita achatado E. granulosus (tipo de ténia) pode provocar o quisto hidático (forma larvar) no Homem.

 

Radiografia de pulmões humanos revelando quistos hidáticos

Quistos hidáticos no pulmão (áreas ovais escuras).

 

  • Através de picada de carraças especialmente numa saída a um parque, jardim ou campo

Algumas carraças podem de facto transmitir babesiose ou erliquiose ao Homem (além de outras doenças) se o picarem e permanecerem fixadas mais de 24 horas. É pois muito importante evitar que tal aconteça. Deve-se ter particular cuidado nas saídas ao campo. O cão não transmite ao Homem de forma directa.

 

  • Através de picada de flebótomos (pequenos insectos) especialmente em pessoas imunodeprimidas

A leishmaniose é uma doença dos cães provocada por um parasita protozoário – leishmania - que invade diversos órgãos, causando lesões de diversa extensão/gravidade e que pode até provocar a morte.

Esta doença pode de facto afectar o Homem. No entanto, a transmissão não é feita de forma directa do cão para o Homem. Para que tal ocorra é necessário:

1.  Um flebótomo picar um cão com leishmanias e ingerir algumas.
2.  Passar aproximadamente uma semana para que os parasitas que se encontram no insecto (flebótomo) se tornem infectantes.
3.  Esse mesmo flebótomo picar uma pessoa.
4.  O estado imunitário da pessoa estar debilitado.

Assim, se vive numa zona endémica da doença, deve tomar precauções contra as picadas de flebótomos (usar repelentes de insectos, redes mosquiteiras apropriadas, evitar andar de pele exposta ao anoitecer e amanhecer e desinfestar as instalações).

Estas medidas são também válidas para os cães.

 

Em resumo, algumas implicações das doenças zoonóticas incluem:

  • Diarreia
  • Náuseas / vómitos
  • Irritação da pele e erupções cutâneas
  • Doenças neurológicas
  • Cegueira
  • Lesões no fígado e pulmão
  • Morte

Tenha presente que a maioria dos casos de zoonoses parasitárias ocorrem por exposição a ambientes contaminados, e não através do contacto diário com animais de estimação. Se suspeitar que algum elemento da sua família apresenta sintomas de zoonose, consulte imediatamente o seu médico.

Saiba mais sobre doenças zoonóticas:

Tamanho da letra

-
+
Clicar para ajustar

Ferramentas da página

Pesquisar

Guia prático dos Parasitas Externos

O que é uma Zoonose?

Será que está em risco?

Procure um Veterinário

Procure um Veterinário

Inscreva-se já!

Livro do cão e do gato

Imagem de cão   Imagem de gato sentado

Geral 37/2016
Se deseja reportar um efeito secundário ou uma reclamação sobre qualidade, por favor contacte um profissional de saúde (por exemplo: o seu médico veterinário ou farmacêutico) ou a autoridade competente, DGAV. Pode também contactar-nos através da página Contactos (no canto superior direito deste site).
Última actualização: August 02, 2017

Copyright © Bayer Portugal