Perguntas frequentes
Parasitas internos

Com que frequência devo desparasitar o meu animal de estimação contra parasitas internos (vermes)?

A frequência de desparasitação depende de diversos fatores tais como a idade do seu animal de estimação, risco parasitológico, da sua situação atual, entre outros.

Por favor, consulte a secção Tratamento, imediatamente abaixo para saber detalhes. Recomendamos que consulte sempre o seu veterinário para obter mais informações.

Tratamento

A fim de minimizar a possibilidade do seu animal de estimação desenvolver um problema sério com parasitas internos, a Bayer recomenda a desparasitação de cães/gatos adultos contra vermes pelo menos 4 vezes por ano (ou seja a cada 3 meses).

Aconselhe-se com o seu Médico Veterinário para estabelecer um Programa Completo de Proteção Antiparasitária. Não se esqueça que só com a sua implementação estará a proteger os seus animais e a si mesmo. Para mais informações consulte a página Proteção completa.

Alguns animais, como cachorros e gatos não desmamados, fêmeas gestantes e na generalidade qualquer animal debilitado, estão em maior risco de desenvolver uma infeção patente de vermes. Para estes animais deve ser instituído com o seu veterinário um plano específico de desparasitação contra vermes. Este pode depender do Estilo de vida do animal . Para mais informações consulte a página Proteção completa.

Existem diversos tratamentos desparasitantes disponíveis, desde líquidos, pipetas, pastas a comprimidos. Sugerimos que peça ao seu veterinário que recomende um desparasitante de dose única e de amplo espetro que abranja todos os vermes  comuns em cães e gatos.

Dicas para Tratamento

Pode acontecer obter no veterinário o tratamento para o animal contra vermes, e ser o próprio dono a administrá-lo. Aqui estão algumas dicas para o ajudar:

Alguns comprimidos (confirmar sempre no folheto informativo) palatáveis ou não podem ser administrados ao animal “escondidos” nos alimentos. Escolha o que o seu animal prefere ou tente algo um pouco diferente, como sardinhas em molho de tomate - muitos gatos adoram!

Se não consegue convencer o seu animal a comer comprimidos, então será necessário dar o comprimido diretamente. É muito mais fácil se tiver alguém para ajudá-lo a fazer isso. Uma pessoa deve segurar o animal de estimação para o imobilizar, nas pernas/patas da frente, enquanto a outra pessoa abre a boca. Incline a cabeça do animal, tão para trás possível, para que o comprimido possa ser colocado na base da língua. Feche a boca do animal e segure no focinho para ficar fechado, enquanto acaricia suavemente a garganta até que o animal engula o comprimido.

Alguns desparasitantes têm uma apresentação líquida, para ser mais fácil de administrar aos animais jovens. Primeiro retire a dose para a seringa, depois segure no cachorro de forma a ter controlo sobre a cabeça. Coloque a seringa no interior do canto da boca do cachorro e deixe sair o líquido suavemente. Não esguiche a dose com força para dentro da boca, pois além de poder voltar para trás pode provocar vómito no animal. As pastas devem ser administradas de uma forma similar.

Os medicamentos em apresentação de pipeta são uma excelente opção, de fácil aplicação, não stressantes para os animais, que para além dos vermes podem inclusive eliminar parasitas externos como as pulgas (entre outros), consulte por favor a pergunta “Com que frequência devo desparasitar o meu animal de estimação contra parasitas internos (vermes)?”

Se ainda assim tem dificuldade em administrar o tratamento, sugerimos que contate o seu veterinário para perguntar se uma das enfermeiras/veterinários/técnicos lhe mostram a melhor maneira de tratar o seu animal de estimação.

A maioria dos desparasitantes são administrados de acordo com o peso. Pode levar o seu animal ao veterinário ou pode pesá-lo em casa. A maneira mais fácil de o fazer em casa é manter o animal nos seus braços, enquanto se pesam os dois e depois subtrair o seu próprio peso do total.

Plano de tratamento

A frequência com que deve desparasitar o seu animal depende de diversos fatores. A tabela a seguir pode ser utilizada como um guia, mas deve sempre discutir as necessidades individuais de cada animal com o veterinário.

Esquema de tratamento

Idade ou situação

Cão

Gato

Observação

2 semanas

X


Os cachorros normalmente nascem infetados com Toxocara canis

4 semanas

X



6 semanas

X

X

Os gatinhos podem adquirir a infeção por T. cati logo após o nascimento

8 semanas

X

X


10 semanas

X

X


12 semanas

X

X


6 meses

X

X

A partir dos 6 meses de 3 em 3 meses

Antes de acasalar

X

X


10 dias antes de parto

X



Infeção específica

X

X

Discutir o tratamento com o seu veterinário

 

Porque devo desparasitar o meu gato ou cão regularmente se nunca mostra quaisquer sinal de estar infetado com vermes?

É muito difícil saber se o animal adulto tem uma infeção de vermes. No entanto o tratamento do seu animal de estimação contra vermes a cada 3 meses ajuda a evitar que os vermes se tornem um problema, e também reduz o risco de contaminação do meio ambiente com ovos de vermes e larvas.

Tenho que desparasitar o meu gato ou cão regularmente se este não sai de casa?

Certamente o seu animal tem um risco menor de exposição a vermes. No caso dos animais que saem de casa existe um risco de exposição maior a vermes. Adicionalmente, é possível que o dono leve ovos de vermes nos seus sapatos ou leve pulgas para dentro de casa. Se o seu gato ou cão ingerir esses ovos ou uma pulga, então é bem possível que desenvolva uma infeção de vermes. Portanto, recomendamos que desparasite o seu gato ou cão regularmente contra vermes e contra pulgas, consulte por favor a pergunta “Com que frequência devo desparasitar o meu animal de estimação contra parasitas internos (vermes)?”

Os vermes podem sair pela boca?

Infeções massivas de lombrigas (ou ascarídeos) podem levar alguns vermes a serem expelidos a partir do intestino. É também o caso das larvas que migram dos pulmões e são expelidas quando os animais tossem e subsequentemente ingeridas para alcançarem o intestino. Grandes quantidades destas larvas podem provocar vómito.

O meu animal de estimação tosse frequentemente sem razão aparente. O que pode significar?

A tosse é um sintoma atípico e pode ser relativa a várias patologias. O seu animal de estimação pode simplesmente ter uma bronquite ou laringite, ou um problema cardíaco. Também pode ser o caso do animal estar infetado com vermes intestinais, pulmonares ou cardíacos e/ou larvas que estão em migração pelo organismo causarem inflamação do tecido pulmonar. Consulte imediatamente o seu veterinário, ele poderá fazer um diagnóstico preciso e prescrever o tratamento adequado.

O que devo saber quando viajo para o exterior?

Cada país é suscetível de ter diferentes tipos de vermes mais prevalentes. Deve verificar com o seu veterinário ou a embaixada do país para o qual viaja (países diferentes podem ter regulamentos distintos), para saber se deve administrar ao seu animal de estimação um tratamento preventivo específico antes ou durante a estadia no exterior.

O nosso cão tem vermes. Será que as nossas crianças se infetam?

Certos vermes podem afetar os seres humanos, tais como o Toxocara canis e as crianças estão em maior risco do que os adultos. No entanto, as infeções não ocorrem por contato direto com o cão, mas a partir da ingestão de ovos infetados do ambiente. Portanto, é importante implementar medidas de higiene, como lavar as mãos antes de comer, principalmente depois brincar no exterior ou de contatar com os animais. A desparasitação regular dos animais pode ajudar a diminuir a contaminação ambiental. Para mais informações consulte a secção Riscos para a saúde imediatamente abaixo.

Riscos para a saúde

De acordo com o referido neste site, as infeções por vermes podem causar problemas de saúde para o animal hospedeiro e em outros animais que atuam como hospedeiros intermediários ou paraténicos, incluindo seres humanos!

Para ajudar a proteger os seus animais de estimação e as pessoas que contatam com eles, a Bayer recomenda a desparasitação regular dos animais de estimação.

Para os animais

Animais infetados com vermes podem ser afetados de diversas maneiras, dependendo da idade e estado de saúde do animal e também do(s) verme(s) envolvido(s). Os sinais podem variar desde irritação ao redor do ânus a problemas digestivos, como diarreia ou obstipação, ou mesmo a morte em animais jovens severamente afetados.

Os vermes podem causar os seguintes sinais em cães e gatos:

 

Sinais

Causa

Oclusão do intestino e canais biliares –

o bloqueio total do intestino pode levar à morte, se os vermes não forem removidos

Infeção massiva de lombrigas (ascarídeos)

Diarreia/Obstipação

Infeção grave de qualquer nemátodo intestinal ou céstodo

Perda geral de condição corporal

Infeções sérias de quaisquer vermes intestinais, especialmente em animais jovens, idosos ou debilitados

Sangue nas fezes e anemia, especialmente em animais jovens gravemente infetados

Infeção massiva de vermes sugadores de sangue como ancilostomídeos, ou vermes que danificam a parede intestinal como tricurídeos, especialmente em animais jovens

Pneumonia

Migração de larvas de Toxocara canis para os pulmões

Lesões nos tecidos provocadas pela migração de larvas

Dermatites devido a larvas de ancilostomídeos

 

Para as pessoas

Os vermes podem causar os seguintes sintomas em humanos:

Doenças que afetam os animais e as pessoas são conhecidas como Zoonoses. Alguns vermes são zoonóticos e, portanto, representam um potencial risco para a saúde dos seres humanos e, especialmente das crianças. A ocorrência de sintomas nos seres humanos é rara, mas quando são visíveis, podem ter efeitos graves sobre diversos órgãos tais como os olhos, fígado e pele.

 

Tipo de verme

Sintomas

Via de infeção

Toxocara canis

Problemas visuais, incluindo cegueira (doença da retina), lesões no fígado e sistema nervoso central

Oral. Ingestão de ovos infetados – ocorre por não se lavar as mãos depois de brincar no jardim/parque contaminado

Ancilostomídeos

A irritação da pele devido à penetração de larvas na pele

Transcutânea. Areias contaminadas; praias, e outros lugares onde as pessoas contatam diretamente com o chão (maior risco para as crianças)

Echinococcus granulosus

Problemas respiratórios causados ​​por quistos formados nos pulmões. Abdómen distendido causado por quistos no fígado. Perigo de morte devido a choque se o quisto rebentar.

Oral. Comer vegetais não lavados, não lavar as mãos depois da jardinagem, etc.

Echinococcus multilocularis

No fígado os quistos crescem e destroem-no como um tumor maligno. A infeção é geralmente fatal

Oral. Comer frutas e vegetais não lavados de áreas frequentadas por raposas em zonas suburbanas (por ex. caçadores de peles na América do Norte podem ser infetados ao despelar os animais)

 

Quão perigosos são os vermes de gatos para as pessoas?

Há relativamente poucos estudos sobre o possível efeito zoonótico de Toxocara cati. No entanto, se se mantiver as boas práticas de higiene, como lavar as mãos antes de comer, então o risco de eventuais problemas é extremamente baixo. Tratar o seu gato contra vermes a cada 3 meses ajuda a evitar a contaminação do ambiente com vermes ovos e larvas. Para mais informações, consulte a pergunta “O nosso cão tem vermes. Será que as nossas crianças se infetam?”.

As mulheres grávidas estão especialmente em risco?

É comum pensar que uma mulher grávida ou o feto está em maior risco de infeção por vermes zoonóticos, em particular Toxocarose (doença causada por Toxocara spp. em seres humanos) do que os outros seres humanos. Não é efetivamente o caso e, enquanto as boas práticas de higiene forem mantidas as grávidas e os fetos não correm um risco maior de sofrer um problema do que qualquer outra pessoa. No entanto, uma zoonose parasitária diferente com relevância específica para as mulheres grávidas é a Toxoplasmose, que pode ser confundida com Toxocarose.

Uma pessoa pode morrer de uma infeção por vermes?

A maior parte dos vermes zoonóticos não costumam causar doenças fatais. No entanto, a fase intermédia da ténia Echinococcus granulosus forma um quisto dentro do corpo humano, geralmente no fígado; caso o quisto rebente pode causar choque anafilático, que pode ser fatal. Esta situação é rara, mas mais preocupante na Europa é a ténia da raposa (Echinococcus multilocularis) uma vez que o estádio que afeta os seres humanos pode causar a morte através da destruição do fígado.

Os desparasitantes têm efeitos secundários?

Os desparasitantes atualmente disponíveis têm um perfil de segurança adequado aos animais e indicações a que se destinam. Podem no entanto ocorrer por características individuais dos animais ou mau uso dos produtos. Os animais jovens são mais suscetíveis a fazer uma reação após o tratamento, principalmente nos casos em que se encontram fortemente infestados. O sinal mais comum é o vómito passageiro. Se notar alguma alteração no comportamento do animal, consulte o seu médico veterinário.

A Bayer recomenda

As boas práticas de higiene ainda são a melhor maneira de proteger os seus animais de estimação e as pessoas que com eles contatam contra as doenças zoonóticas. As dicas a seguir, além do tratamento regular contra vermes, devem ajudar a evitar que os vermes se tornem num problema:

  • Lavar as mãos após o contato com animais, depois de brincar com eles no exterior ou de fazer jardinagem.
  • As crianças devem ser cuidadosamente supervisionadas no contato com os animais. Ex: não deixar as crianças colocar as mãos na boca depois de contatar com os animais
  • Evitar o contato com animais errantes
  • Evitar passear o seu cão em zonas de recreio infantil ou espaços de desporto
  • Não permitir que os animais lambam o seu rosto
  • Recolher as fezes dos seus animais de estimação - não permitir que as fezes contaminem o meio ambiente
  • Lavar bem os vegetais e frutas (cuidado especial com as saladas)
  • Utilizar utensílios de alimentação separados para animais e humanos (e lavá-los separadamente)
  • Cozinhar sempre bem a carne. Não alimentar os seus animais com carne crua, principalmente miudezas.
  • Lavar e desinfetar os espaços onde o seu cão/gato habita, come e dorme
  • Usar luvas para limpar a caixa de areia do gato
  • Não partilhar a cama com o animal de estimação
  • Desparasitar regularmente os seus animais de estimação contra parasitas internos e externos

Tamanho da letra

-
+
Clicar para ajustar

Ferramentas da página

Pesquisar

Guia prático dos Parasitas Externos

O que é uma Zoonose?

Será que está em risco?

Procure um Veterinário

Procure um Veterinário

Inscreva-se já!

Livro do cão e do gato

Imagem de cão   Imagem de gato sentado

Geral 37/2016
Se deseja reportar um efeito secundário ou uma reclamação sobre qualidade, por favor contacte um profissional de saúde (por exemplo: o seu médico veterinário ou farmacêutico) ou a autoridade competente, DGAV. Pode também contactar-nos através da página Contactos (no canto superior direito deste site).

Copyright © Bayer Portugal